"Muitas vezes saio para jantar com meu cachorrinho, comemos à luz de velas e ele sabe me ouvir"

Muitas pessoas consideram seus animais de estimação melhores amigos: são verdadeiros membros da família para elas, pois vivem sob o mesmo teto e cuidam delas, recebendo em troca um carinho incondicional. Nos últimos anos, cada vez mais clubes, hotéis e estabelecimentos balneares se tornaram "pet friendly" ou adequados para animais de estimação, para que as pessoas também possam passar as suas férias e jantar fora com o seu cão e, em alguns casos, até com o seu gato.

Uma inglesa certamente apreciou essa possibilidade e decidiu criar sua própria rotina com seu amado cachorro. Nós vamos falar sobre ela.

Helen Hallford é uma mulher de 53 anos que há alguns anos adora oferecer ao seu cachorrinho Tommy a oportunidade de comer no pub local periodicamente: não há mais ninguém com quem ela prefira compartilhar seu purê de batatas à luz de velas.

Helen, que vive e trabalha em Warwickshire, se separou do marido e começou a morar sozinha com Tommy. "Eu amo sair com ele. Ele é o meu encontro favorito de todos os tempos. Eu sei que sou um pouco estranha. A primeira vez que saímos foi a melhor coisa da minha vida".

Na véspera de Ano Novo de 2019, Helen e Tommy, um vira-lata pequeno de cinco anos, ficaram em um hotel em Bournemouth. "Disse a eles que queria jantar com meu cachorro e eles me colocaram em uma sala separada", disse Helen. "Tivemos um jantar de sete pratos à luz de velas e um garçom só para nós. Quando todos terminaram de comer, entramos no restaurante e dançamos uma dança lenta juntos na frente da banda. Todos os convidados olharam para nós e sorriram: é maravilhoso". Desde então, se tornou um hábito.

"Nós tentamos sair duas ou três vezes por mês, e então vamos ao pub local para o Dia dos Namorados e meu aniversário", continuou Helen. Embora tudo isso possa parecer "triste", visto que - sendo um cachorro - o pequeno Tommy certamente não pode conversar com Helen na mesa, a mulher explicou que sua presença é uma grande companhia: o cachorrinho ouve e "responde".

"Ele não tira os olhos de mim, abana o rabo e sempre se senta ao meu lado. Ele é muito educado. Quando janto sozinha, estranhos nunca falam comigo, mas quando estou com Tommy, eu encontro e converso com muita gente", explicou ela. "A vida não seria a mesma sem Tommy e não consigo imaginar minha vida sem ele. Ele é muito especial para mim."

O que você acha desse seu costume original?

Comentário do usuário