Cachorro de rua presencia falecimento de tutor e vai ao velório se despedir: “melhor amigo do homem”

 

Quem faz parceria com os animais anda de mãos dadas com a paz e sob a proteção de Deus.

 

Fred é um cão caramelo que teve um grande amigo nos últimos cinco anos, um aposentado chamado Anderson Simões. Infelizmente o homem veio a falecer aos 53 anos devido a um problema no coração. Fred havia sido abandonado na rua em que o cuidador morava, e então eles construíram uma bela amizade.

Outros moradores do bairro cuidavam de Fred, mas a conexão do caramelo com Anderson era única, por isso, quando ele faleceu, o vira-lata fez a única coisa que estava ao seu alcance, ir ao velório e se despedir do amigo.

Anderson foi encontrado por familiares, após não ter respondido mensagens no celular. Vendo a movimentação da residência o cachorro ficou próximo, e quando o corpo foi levado acompanhou o carro até o local do velório.

Durante o sepultamento Fred permaneceu deitado ao lado do caixão, com medo de que o tirassem de perto daquele que o amou e o alimentou nos últimos cinco anos.

Esta não é a primeira vez que um animal demonstra o amor que sentia pelo humano responsável por cuidar dele. Outras matérias sobre esses casos já foram noticiadas por veículos de comunicação.

O caso de outro caramelo comoveu moradores de San Juan em Porto Rico, o cão de nome desconhecido permaneceu deitado ao lado do corpo do tutor que havia falecido deitado em um banco em praça pública.

A cena chamou a atenção de funcionários de um hospital que fica em frente ao local. Só então perceberam que o homem estava morto, e que o cão estava fazendo companhia.

Ao contrário de Fred, o cão desse incidente não pode acompanhar o falecido, pois o homem era um indigente então não teve um sepultamento e velório com familiares. Ele permaneceu na praça, talvez com a esperança de que o tutor fosse retornar.

Na matéria não informa se alguém da família de Anderson irá continuar com o legado do aposentado e cuidar de Fred, mas o que se sabe é que outros moradores também cuidavam dele.

Nesse caso de Porto Rico, o caramelo que ficou ao lado do corpo do tutor foi adotado por um médico do hospital que ficou emocionado com o gesto de respeito e lealdade do cão. O cachorro foi batizado de Leo, e hoje vive uma vida digna fora das ruas com amor e carinho.

Esses casos não acontecem só em relação a cães e humanos. Mas cachorros também costumam não abandonar uns aos outros. Uma história assim aconteceu em Xanxerê, Santa Catarina, em março deste ano.

Um cachorro de rua de porte médio ficou cerca de 24 horas ao lado do corpo de seu amigo que havia sido atropelado, mesmo abaixo de chuva o cão não se moveu e ficou sentado até que pessoas passaram pelo local e viram a cena.

Moradores da região se mobilizaram para recolher o corpo do cão atropelado. Enquanto o cão leal viralizou em portais de notícias na cidade, em busca de uma casa para não ter o mesmo fim daquele que fazia companhia para seus dias na rua.

O motorista não parou para ajudar, caso contrário, o final poderia ter sido diferente, e o outro não teria ficado sozinho.

 

Na vida animal e humana, o que impera é a maternidade, o afeto, a proteção e a sobrevivência.

Amar, respeitar e proteger os animais.

Verdadeiros amigos, companheiros fiéis na alegria, na dor, para a vida toda!

Preste atenção ao nosso site, forneceremos informações mais valiosas.

 
Comentário do usuário