Cachorrinha fica desesperada com internação de tutor e só se acalma após revê-lo

 

Quem faz parceria com os animais anda de mãos dadas com a paz e sob a proteção de Deus.

 

No início deste mês, o tutor da cachorrinha Lucimara sofreu um grave acidente de carro e precisou ser hospitalizado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (SP).

"Após o seu tutor dar entrada no pronto-socorro do Hospital Central, a cadela ficou desesperada esperando na porta do serviço de emergência para reencontrá-lo", escreveu a Santa Casa em um post compartilhado no LinkedIn.

O paciente é um homem com deficiência visual que sofreu um atropelamento.

Lucimara recebeu água e comida dos funcionários locais, mas só se acalmou mesmo quando lhe trouxeram uma camisa do dono.

Até então, ela não parava de latir, como se quisesse chamá-lo.

Comovidos com a situação da cachorrinha, os profissionais do hospital concederam à ela o direito de entrar e reencontrar o seu tutor, em um momento emocionante que comoveu a todos.

Olha só a felicidade dela em revê-lo!

"Um dos pilares que norteiam o trabalho da Santa Casa de São Paulo é a humanização no atendimento, que fortalece a qualidade assistencial e transforma vidas! ", compartilhou a instituição.

A publicação rapidamente viralizou, alcançando 180 mil visualizações e 12 mil curtidas em menos de uma semana.

Na seção de comentários do post, centenas de internautas exaltaram a humanização do atendimento do paciente e elogiaram a cachorrinha fiel, que não desistiu de encontrá-lo em nenhum momento.

"A instituição da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo é um local com serviço humanizado, empático, solidariedade e com profissionais. A UTI pediátrica foi a morada de minha filha e de meu filho por muito tempo, chegamos a ficar em um quarto de isolamento da UTI por 8 meses, em uma das nossas constantes internações. Ali fiz amigos, ali ganhei familiares, ali choraram conosco, nos acolheram e todos deram o seu melhor e hoje, meu filho está lindo e muito bem, graças a Deus e a todos os envolvidos que fazem parte dessa instituição maravilhosa! Eu amo a "Santinha" nome que a chamo hoje", comentou a cuidadora de idosos Érica Moura.

"A atitude Lucimara chama-se lealdade. Os cachorros são leais. Não importa a ração que ele come, o lugar que ele vive. O que importa é a troca de amor e confiança entre ele e seu dono, seu tutor, ou simplesmente, seu "pai". Que possamos aprender com esses animais o significado desse gesto de lealdade, que vale mais do que mil palavras. Parabéns ao hospital, pelo cuidado com a cadelinha e sensibilidade com a relação dela com seu dono. Com certeza a sua presença ao lado dele, fez muita diferença. Vamos cuidar e amar mais os animais… Pois eles possuem muitos valores a nos lembrar, em especial na atual sociedade, onde muita coisa está com o sentido perdido ou distorcido", escreveu a advogada Flavia Firgulho.

"É com muita alegria e respeito que dirijo-me a esta diretoria! Gratidão pela atitude de humanidade e tenho certeza que o paciente melhorará mais rapidamente. Ele passou momentos que são difíceis em hospitais com o coração mais alegre e pleno! Este tratamento humanizado deveria ser padrão, eu mesma se fosse hospitalizada não sobreviveria um dia sem minha companheira fiel que tanto amo, estaria tensa, preocupada e deprimida. Parabéns, que sirva como exemplo para outros hospitais, sem a pobre cachorrinha ter que se manifestar! ", comementou a professora Margarete Santos.

 

Na vida animal e humana, o que impera é a maternidade, o afeto, a proteção e a sobrevivência.

Amar, respeitar e proteger os animais.

Verdadeiros amigos, companheiros fiéis na alegria, na dor, para a vida toda!

Preste atenção ao nosso site, forneceremos informações mais valiosas.

 
Comentário do usuário