Jovem resgata filhotinho de ouriço ameaçado de morte e caso comove internautas

 

Quem faz parceria com os animais anda de mãos dadas com a paz e sob a proteção de Deus.

 

Apaixonada por animais domésticos e selvagens, Amanda Both, de Toledo, Paraná, contou que recentemente resgatou um animal de uma raça um pouco diferente: um ouriço.

Em uma publicação feita no dia 3 de outubro, em um grupo sobre animais no Facebook, Amanda contou aos participantes que haviam entrado em contato com ela pedindo para resgatar um filhote de ouriço, pois algumas pessoas estavam ameaçando matá-lo.

Felizmente a mulher, que embora não seja médica veterinária, tem experiência em cuidar de animais órfãos e silvestres, resgatou o animalzinho, salvando assim a sua vida. Mas, o seu amor por animais não é de hoje.

Em entrevista, Amanda contou todos os detalhes sobre o resgate do ouriço e de onde vem a sua relação com os animais.

"Meu primeiro contato com animais silvestres se deve por influencia do meu avô, ele sempre me incentivou a 'gostar do diferente'. Sempre saímos em trilhas e encontrávamos animais diferentes como cobras, aranhas, lagartos, borboletas, e ele sempre me incentivou a proteger e amar o que normalmente nos ensinam a temer", conta.

Amanda relembra ainda os primeiros animais incomuns que ela acabou ganhando do seu avô.

"Um dia ele me trouxe um pato de presente, outro dia uma galinha, e até aranha ele já me trouxe. Enquanto os alunos que estudavam comigo tinham cães e gatos, eu tinha peixes, tartarugas, aranhas, lagartos, galinhas, coelhos, gansos e outros. Sempre fui fascinada pelo diferente e quando cresci não foi diferente, atualmente tenho 13 animais entre serpentes, lagartos, araras, macacos, sapos, rapinantes e outros, todos legalizados e provenientes de criatórios autorizados pelo Ibama", explica.

Embora não seja especialista na área, Amanda conta que a experiência com cuidados prestados a animais selvagens é um diferencial na hora de ajudar algum animalzinho que precisa de socorro, como foi o caso do ouriço.

Resgate do ouriço

A protetora conta que um funcionário de uma empresa de grãos afastada da cidade entrou em contato com ela falando sobre a presença do filhote de ouriço nas dependências da empresa. O que mais chamou a atenção do homem foi o fato dele não ter localizado a mãe do filhote, que era pequeno demais para se alimentar e sobreviver sozinho.

"Eu assumo que foi o primeiro porco espinho que resgatei, e apesar de ter uma noção básica de como era a alimentação dele, verifiquei que o mesmo ainda dependia de leite materno. Com base nisso, entrei em contato com um grupo de amigas que sabia que iriam me ajudar, pois as mesmas são habituadas a resgatarem esses e outros animais, então elas me ofereceram um livro no qual contém muitas informações sobre filhotes órfãos. Eu alimentei ele 5x ao dia com uma seringa de insulina (porque era menor e mais confortável) e ele passou a comer cada dia mais, e a ficar mais forte e habituado ao ser humano", detalha.

Felizmente os cuidados de Amanda fizeram toda a diferença e o filhote correspondeu a assistência recebida.

"Quando vi que ele já estava mais gordinho e esperto, entrei em contato com o órgão responsável para realizar a entrega voluntária dele, e o mesmo foi encaminhado ao hospital veterinário para finalizar os processos de encaminhamento para soltura", conta.

 

Na vida animal e humana, o que impera é a maternidade, o afeto, a proteção e a sobrevivência.

Amar, respeitar e proteger os animais.

Verdadeiros amigos, companheiros fiéis na alegria, na dor, para a vida toda!

Preste atenção ao nosso site, forneceremos informações mais valiosas.

 
Comentário do usuário