Cão é acolhido após chorar em portão de casa: ‘parecia que estava pedindo ajuda’

 

Quem faz parceria com os animais anda de mãos dadas com a paz e sob a proteção de Deus.

 

Um cachorro teve a sorte de ser levado para um local seguro e protegido do frio após chorar no portão de uma casa em Jundiaí, no interior do estado de São Paulo. A moradora do bairro Agapeama que o acolheu se comoveu com a situação do cachorro, que, segundo ela, parecia pedir ajuda.

No entanto, o cão deve permanecer na casa em condição de lar temporário, já que a mulher, que preferiu não se identificar, não tem condições de adotá-lo, por isso, está à procura de uma família para o animal, que é dócil e de porte médio.

"Eu amo cachorro, tenho três. Não posso ver cachorrinho na rua que me dói o coração", afirmou a mulher. Segundo ela, estava anoitecendo quando o cão apareceu. "Ouvi um choro e saí no portão. Era ele, parecia que estava pedindo ajuda. Ele está muito magro, fui buscar ração e quando voltei ele já não estava mais. Saí pela rua procurando e consegui encontrá-lo. Ele comeu um pouco e me seguiu até em casa", relatou à Tribuna de Jundiaí. "Nesse frio, com a magreza que ele está, não vai aguentar. Queria que alguém, de bom coração, pudesse levá-lo", completou.

Campanha incentiva população a abrigar animais no inverno

Ativistas de Jundiaí se uniram em uma campanha para conscientizar a população sobre a importância de abrigar animais abandonados em dias frios. Uma das pessoas que luta por essa causa é a servidora pública Danielle Fogaça.

"Esta semana será muito fria e os animais que são vítimas do abandono estão pagando o preço, nas ruas e no frio. Precisamos que a população possa se unir para ajudá-los, pelo menos nesta semana", afirmou Danielle.

"No ano passado já fizemos isso e deu muito certo. A Prefeitura também pediu para que os moradores de rua com animais ficassem com eles nos abrigos, isso ajudou. Existem casos em que as pessoas não têm condições de adotar ou permanecer com os animais por muito tempo, mas se colocam à disposição para pelo menos abrigá-los neste período de frio intenso", completou.

E para os interessados em colaborar que não podem sequer abrigas os animais durante os dias frios, Danielle pede que façam doações de cobertores e ração. "Se cada um ajudar um pouquinho, poderemos salvar muitas vidas. As ONGs não têm condições de abrigar mais animais, estão todas lotadas. Durante a pandemia, o número de animais abandonados também aumentou. Peço que todos ajudem nessa corrente", afirmou.

 

Na vida animal e humana, o que impera é a maternidade, o afeto, a proteção e a sobrevivência.

Amar, respeitar e proteger os animais.

Verdadeiros amigos, companheiros fiéis na alegria, na dor, para a vida toda!

Preste atenção ao nosso site, forneceremos informações mais valiosas.

 
Comentário do usuário